Insensibilidade dos bacanas com a tragédia no Rio Grande do Sul

O LADRÃO DE JOIAS DA JORNALISTA CHEIA DE GRANA – Moisés Mendes é um jornalista da nossa geração. Brilha como blogueiro e comentarista nos sites independentes. É um dos grandes analistas políticos da atualidade, com um texto sofisticado como apenas os decanos da profissão são capazes.

Ler mais

Se jabuti não sobe em árvore… quem foi, afinal, que botou ele lá?

OS ENSINAMENTOS DA SABEDORIA POLÍTICA POPULAR – Quando você encontrar um jabuti em uma árvore, pergunte primeiro quem foi que botou ali o jabuti. Isto vale para a política e para a economia. Nesta análise, o jabuti do Banco Central independente foi lá colocado pelo Congresso e pelo mercado.

Ler mais

Estrela vermelha de cinco pontas em painel de metal holográfico

UM SÍMBOLO CONSAGRADO DE ORIENTAÇÃO E PODER – Painel metálico com a representação de uma estrela vermelha com cinco pontas para decoração de paredes ou cenários de eventos. A peça produzida em chapa de alumínio escovado revela reflexos holográficos com a aplicação de vernizes.

Ler mais

Guerra à guerra: apelo à paz no conflito entre a Rússia e Ucrânia

A LÚCIDA ANÁLISE DA HISTORIADORA RAQUEL VARELA – Viril não ir à guerra, é desertar; corajoso é fazer greves que doam a quem faz a guerra. Nobre é, como na II Guerra, parar fábricas e transportes; corajoso é lutar por saúde e educação contra orçamento militar. É aí que reside o humanismo radical.

Ler mais

Como a dócil ave dodô, a Humanidade corre o risco de ser extinta

RETORNO AO PASSADO NAS ASAS DA ANTROPOLOGIA – Como a triste história dos dodôs, aves que viveram sossegadas por milhares de anos mas foram extintas por invasores porque eram inofensivas, lamentavelmente também pode se aplicar à Humanidade – só que sem ninguém para chorar por nós.

Ler mais

Fanatismo não é loucura: é burrice somada à canalhice e cinismo

COMO UM VÍRUS QUE CONTAMINA O TECIDO SOCIAL – O fanatismo não é uma espécie de loucura, ele tem uma estrutura própria: é burrice somada à canalhice. O fanático é burro porque aceita incondicionalmente tudo o que lhe aparece sem questionar. É canalha e cínico porque olha, mas não vê; ouve, mas não escuta.

Ler mais